CIRURGIAS

NARIZ

RINOPLASTIA


O que é?

É a cirurgia plástica do nariz, com objetivo de alterar o formato do mesmo para que fique mais bonito e mais harmônico com a face.

Para quem está indicado?

Está indicada para pessoas, a partir de 15-16 anos, que estão insatisfeitas com o formato de seu nariz e desejam alterá-lo. As principais queixas são: dorso muito projetado (nariz grande), ponta caída, base nasal alargada, ponta nasal mal definida, nariz “gordo”, giba nasal (elevação no dorso), nariz torto, irregularidades, etc. Para todas estas queixas existem técnicas diferentes para melhorar o aspecto e deixa-lo mais bonito. Cabe ao cirurgião, juntamente com o paciente, identificar quais as deformidades e o que precisa ser feito para chegar ao melhor resultado.

Limitações

Pacientes de pele muito grossa dificilmente conseguirão resultados muito refinados. Assim, é impossível deixar uma ponta muito fina, delicada e definida em pacientes de pele grossa, porém pode-se melhorar bastante o aspecto.

Já pacientes de pele muito fina deve-se tomar muito cuidado. Qualquer milímetro de cartilagem retirado a mais ou a menos pode se mostrar aparente.

Peles de espessura média são ideais.

Avise seu médico se você tem tendência a quelóides ou cicatriz hipertrófica.

Como é a cirurgia?

A cirurgia é realizada com anestesia geral (paciente dorme durante o procedimento), com duração média de 4 horas. A alta pode ser no mesmo dia se for realizada de manhã cedo ou no dia seguinte da cirurgia, dependendo de cada caso.

O paciente deve estar em jejum de 8 horas antes da cirurgia.

Geralmente não é necessário tampão nasal, mas em alguns casos é colocado splint nasal, espécie de plástico ou silicone que evita sinéquias dentro do nariz. Os mesmos são retirados com 1 semana. Também é realizado um curativo externo no nariz, com aquaplast ou gesso. O mesmo é também retirado com 1 semana.

Pós operatório

O edema (inchaço) e a equimose (vermelhidão/roxidão ao redor do nariz e olhos), costuma melhorar com 15 dias, sendo possível o paciente retornar as suas atividades após este período. Porém o nariz continua levemente inchado por até 1 ano após a cirurgia.

O paciente deve evitar se expor ao sol e deve usar protetor solar, de fator de proteção acima de 50, para evitar manchas sobre a pele. A cicatrização é muito importante para bons resultados. Deve evitar usar óculos sobre o nariz por 2 meses após a cirurgia para não “marcar”. O nariz geralmente fica obstruído por 1 a 2 semanas após a cirurgia devido o inchaço e pequenos sangramentos internos. Isto é resolvido com lavagem nasal e com o passar dos dias. Pode ser feito, dependendo o caso, alguns pontos externos na columela e nas asas do nariz. Os mesmos são retirados entre 5 a 10 dias após a cirurgia. As cicatrizes são mínimas e tendem a ser inaparentes com o passar do tempo.

A dor costuma ser leve, resolvida com analgésicos comuns.

Complicações

Pode ocorrer raramente algum sangramento no pós operatório sendo necessário as vezes colocação de tampão nasal ou até mesmo cauterização em centro cirúrgico. Infecções de pele ou sinusites pós operatórias são também uma possível complicação sendo resolvidas com uso de antibióticos.

Insatisfações após a cirurgia podem acontecer em 10% dos casos, sendo necessário as vezes uma nova cirurgia menor para retoques.




SEPTOPLASTIA


O que é?

É a cirurgia indicada para quem sofre de obstrução nasal devido desvio de septo nasal, o qual pode apresentar tortuosidades.

Para quem é indicado?

Para todo paciente que apresenta dificuldade para respirar pelo nariz e apresenta deformações no septo do nariz. Estas deformações podem acontecer na parte óssea ou na parte cartilaginosa e pode acometer uma ou as duas narinas. O paciente pode possuir esta deformidade por ter sofrido algum trauma/acidente ou ser próprio do crescimento da face. Quem apresenta desvio de septo não necessariamente apresenta o formato externo do nariz torto. Na maioria das vezes as alterações só são vistas na parte interna.

Como é a cirurgia?

A cirurgia é realizada com anestesia geral (paciente dorme durante o procedimento), com duração média de 1 hora. A alta pode ser no mesmo dia se for realizada de manhã cedo ou no dia seguinte da cirurgia, dependendo de cada caso.

O paciente deve estar em jejum de 8 horas antes da cirurgia.

Geralmente não é necessário tampão nasal, mas em alguns casos é colocado splint nasal, espécie de plástico ou silicone que evita sinéquias dentro do nariz. Os mesmos são retirados com 1 semana. A cirurgia pode ser realizada por vídeo, o que permite maior precisão cirúrgica, devido melhor visualização da parte interna do nariz. O uso do vídeo também permite que os pontos de sangramento sejam cauterizados com mais exatidão o que diminui a chance de sangramentos no pós operatório e diminui o uso de tampão nasal.

Pós operatório

A septoplastia isolada, ao contrário da rinoplastia, não altera o formato externo do nariz. Não causa inchaço e nem vermelhidão/roxidão no nariz. Apenas a parte interna do nariz é manipulada. Não deixa cicatrizes e nem cortes externos.

O nariz geralmente fica obstruído por 1 a 2 semanas após a cirurgia devido o inchaço e pequenos sangramentos internos. Isto é resolvido com lavagem nasal e com o passar dos dias. A recuperação é de aproximadamente 10 dias. A dor costuma ser leve, resolvida com analgésicos comuns.

Complicações

Pode ocorrer raramente algum sangramento no pós operatório sendo necessário as vezes colocação de tampão nasal ou até mesmo cauterização em centro cirúrgico. Sinusite pós operatória é também uma possível complicação sendo resolvida com uso de antibiótico.

O tratamento cirúrgico costuma resolver definitivamente a obstrução nasal. A recorrência do desvio septal com o passar do tempo pode acontecer raramente.




TURBINECTOMIA


O que é?

É a cirurgia para diminuir o tamanho das conchas nasais, na parte interna do nariz. Pode ser realizada nas conchas nasais inferiores e/ou nas conchas nasais médias.

Para quem é indicado?

Para pacientes que sofrem de obstrução nasal crônica devido hipertrofia (crescimento exagerado) das conchas nasais na parte interna do nariz. É mais comum em pacientes que também sofrem de rinite alérgica e/ou sinusite crônica.

Como é a cirurgia?

A cirurgia é realizada com anestesia geral (paciente dorme durante o procedimento), com duração média de 1 hora. A alta pode ser no mesmo dia se for realizada de manhã cedo ou no dia seguinte da cirurgia, dependendo de cada caso. Na cirurgia é retirado a parte que esta em excesso (crescida) das conchas nasais e posterior cauterização.

O paciente deve estar em jejum de 8 horas antes da cirurgia.

Geralmente não é necessário tampão nasal, mas em alguns casos é colocado splint nasal, espécie de plástico ou silicone que evita sinéquias dentro do nariz. Os mesmos são retirados com 1 semana. A cirurgia pode ser realizada por vídeo, o que permite maior precisão cirúrgica, devido melhor visualização da parte interna do nariz. O uso do vídeo também permite que os pontos de sangramento sejam cauterizados com mais exatidão, o que diminui a chance de sangramento no pós operatório e diminui o uso de tampão nasal.

Pós operatório

O nariz geralmente fica obstruído por 1 a 2 semanas após a cirurgia devido o inchaço e pequenos sangramentos internos. Isto é resolvido com lavagem nasal e com o passar dos dias. A recuperação é de aproximadamente 10 dias. A dor costuma ser leve, resolvida com analgésicos comuns.

Complicações

Pode ocorrer algum sangramento no pós operatório sendo necessário as vezes colocação de tampão nasal ou até mesmo cauterização em centro cirúrgico. Com o passar dos anos em alguns casos, as conchas nasais podem novamente hipertrofiar, porém isto não é o mais comum.




ADENOIDECTOMIA


O que é?

É a cirurgia para retirar a adenóide, quando a mesma encontra-se hipertrofiada (muito crescida).

Para quem é indicado?

A hipertrofia da adenóide é mais comum em crianças e as vezes pode acometer adultos. Toda criança possui adenóide, porém a mesma pode causar sintomas obstrutivos quando está muito crescida. A mesma involui na maioria das pessoas após os 10 anos de idade. Os casos que necessitam cirurgia são quando a adenóide ocupa mais de 70% do cavum (abertura posterior do nariz), causando obstrução nasal, respiração bucal e roncos, e que não melhoram com medicações.

Como é a cirurgia?

A cirurgia é realizada com anestesia geral (paciente dorme durante o procedimento), com duração média de 1 hora. A alta pode ser no mesmo dia se for realizada de manhã cedo ou no dia seguinte da cirurgia, dependendo de cada caso.

O paciente deve estar em jejum de 8 horas antes da cirurgia. Não é colocado tampão no nariz. A cirurgia pode ser realizada pela boca ou pelo nariz com uso de vídeo.

Pós operatório

A retirada da adenóide não costuma causar dor e a recuperação é rápida, em média de 1 semana. É normal pequenos sangramentos no nariz que cessam expontaneamente. A adenoide menos frequentemente pode voltar a crescer com o passar nos meses/anos, as vezes sendo necessário uma nova cirurgia.

Complicações

Pode ocorrer raramente sangramento de maior volume no pós operatório, sendo necessário, as vezes, nova cauterização em centro cirúrgico.




CIRURGIA ENDOSCÓPICA FUNCIONAL DOS SEIOS PARANASAIS


O que é?

É a cirurgia para reestabelecer o funcionamento do nariz e dos seios paranasais. Pode ser ressecado excesso de tecido em conchas nasais, retirado pólipos nasais, realizado a ampliação dos óstios dos seios paranasais para drenagem e para que não haja mais acúmulo de secreções.

Para quem é indicado?

Para pacientes que sofrem de sinusite crônica, hipertrofia de conchas nasais, pólipos nasais, tumores nasais, etc.

Como é a cirurgia?

A cirurgia é realizada com anestesia geral (paciente dorme durante o procedimento), com duração média de 2 horas. A alta geralmente acontece no dia seguinte da cirurgia.

O paciente deve estar em jejum de 8 horas antes da cirurgia.

Geralmente não é necessário tampão nasal, mas em alguns casos é colocado splint nasal, espécie de plástico ou silicone que evita sinéquias dentro do nariz. Os mesmos são retirados com 1 semana.

A cirurgia pode ser realizada por vídeo, o que permite maior precisão cirúrgica, devido melhor visualização da parte interna do nariz. O uso do vídeo também permite que os pontos de sangramento sejam cauterizados com mais exatidão o que diminui a chance de sangramentos no pós operatório e diminui o uso de tampão nasal. Nesta cirrugia o uso do vídeo é altamente indicado para evitar que estruturas nobres, que caminham muito perto do nariz não sejam lesadas, como o nervo óptico (responsável pela visão), olho, base do crânio, cérebro, artéria carótida, etc.

Pós operatório

O nariz geralmente fica obstruído por 1 a 2 semanas após a cirurgia devido o inchaço e pequenos sangramentos internos. Isto é resolvido com lavagem nasal e com o passar dos dias. A recuperação é de aproximadamente 10 dias. A dor costuma ser leve, resolvida com analgésicos comuns.

Complicações

Pode ocorrer algum sangramento no pós operatório sendo necessário as vezes colocação de tampão nasal ou até mesmo cauterização em centro cirúrgico. Sinusite aguda no pós operatório é também uma possível complicação sendo resolvida com uso de antibiótico. Mais raramente pode ocorrer lesão da base do crânio ocorrendo fístulas de líquido cerebral ou traumas oculares.





GARGANTA

AMIGDALECTOMIA


O que é?

É a cirurgia para retirar as tonsilas palatinas (amigdalas).

Para quem é indicado?

As indicações cirúrgicas absolutas (indicadas em todos os casos) são: em casos de suspeita de neoplasia (câncer); obstrução grave da respiração, com respiração permanente pela boca e prejuízo da oxigenação, podendo evoluir para interrupção da respiração durante o sono (parada respiratória de 10 segundos ou mais).

As indicações cirúrgicas relativas (indicadas em alguns, mas não em todos os casos) são: em infecções de repetição, halitose (mau hálito) e caseo.

Como é a cirurgia?

A cirurgia é realizada com anestesia geral (paciente dorme durante o procedimento), com duração média de 1 hora. A alta pode ser no mesmo dia se for realizada de manhã cedo ou no dia seguinte da cirurgia, dependendo de cada caso.

O paciente deve estar em jejum de 8 horas antes da cirurgia. A cirurgia é realizada pela boca. As vezes são necessários pontos para conter sangramentos, porém os mesmos caem sozinhos, não sendo necessário retira-los.

Pós operatório

A retirada das amigdalas geralmente causa muita dor nos primeiros 10 dias após a cirurgia e as vezes mesmo tomando analgésicos fortes o paciente ainda sente dor. Esta costuma ser mais intensa em adultos do que crianças. O paciente deve comer apenas líquido/pastoso e gelado nos primeiros 3 dias, sendo retomado a alimentação de consistência normal gradativamente.

Complicações

Pode ocorrer raramente sangramento de maior volume no pós operatório, sendo necessário, as vezes, nova cauterização em centro cirúrgico. Infecções de garganta podem ocorrer no pós operatório sendo resolvidas com uso de antibiótico. Não é necessário usar antibiótico no pós operatório em todos os casos, a necessidade deve ser avaliada pelo médico cirurgião.




FARINGOPLASTIA LATERAL


O que é?

É a cirurgia para ampliar o espaço de respiração na garganta, o que ajuda a melhorar os roncos e a apnéia obstrutiva do sono. É uma variante da uvupalatofaringoplastia.

Para quem é indicado?

Está indicado para pacientes que tem roncos noturnos e/ou apnéia obstrutiva do sono e que apresentam excesso de tecido na região da garganta, como hipertrofia de amigdalas, palato mole alongado e redundante. Não é indicado em todos os casos de ronco, apenas nos pacientes que também possuem excesso de tecido na região da garganta.

Como é a cirurgia?

A cirurgia é realizada com anestesia geral (paciente dorme durante o procedimento), com duração média de 1 hora. A alta costuma ser no dia seguinte da cirurgia.

O paciente deve estar em jejum de 8 horas antes da cirurgia. A cirurgia é realizada pela boca. As vezes são necessários pontos para conter sangramentos, porém os mesmos caem sozinhos, não sendo necessário retira-los.

Pós operatório

A cirurgia geralmente causa muita dor nos primeiros 10 dias após a cirurgia e as vezes mesmo tomando analgésicos fortes o paciente ainda sente dor. O paciente deve comer apenas líquido/pastoso e gelado nos primeiros 3 dias, sendo retomado a alimentação de consistência normal gradativamente.

Complicações

Pode ocorrer raramente sangramento de maior volume no pós operatório, sendo necessário, as vezes, nova cauterização em centro cirúrgico. Infecções de garganta podem ocorrer no pós operatório sendo resolvidas com uso de antibiótico. Não é necessário usar antibiótico no pós operatório em todos os casos, a necessidade deve ser avaliada pelo médico cirurgião.





ORELHA

AMIGDALECTOMIA


O que é?

É a cirurgia para retirar as tonsilas palatinas (amigdalas).

Para quem é indicado?

As indicações cirúrgicas absolutas (indicadas em todos os casos) são: em casos de suspeita de neoplasia (câncer); obstrução grave da respiração, com respiração permanente pela boca e prejuízo da oxigenação, podendo evoluir para interrupção da respiração durante o sono (parada respiratória de 10 segundos ou mais).

As indicações cirúrgicas relativas (indicadas em alguns, mas não em todos os casos) são: em infecções de repetição, halitose (mau hálito) e caseo.

Como é a cirurgia?

A cirurgia é realizada com anestesia geral (paciente dorme durante o procedimento), com duração média de 1 hora. A alta pode ser no mesmo dia se for realizada de manhã cedo ou no dia seguinte da cirurgia, dependendo de cada caso.

O paciente deve estar em jejum de 8 horas antes da cirurgia. A cirurgia é realizada pela boca. As vezes são necessários pontos para conter sangramentos, porém os mesmos caem sozinhos, não sendo necessário retira-los.

Pós operatório

A retirada das amigdalas geralmente causa muita dor nos primeiros 10 dias após a cirurgia e as vezes mesmo tomando analgésicos fortes o paciente ainda sente dor. Esta costuma ser mais intensa em adultos do que crianças. O paciente deve comer apenas líquido/pastoso e gelado nos primeiros 3 dias, sendo retomado a alimentação de consistência normal gradativamente.

Complicações

Pode ocorrer raramente sangramento de maior volume no pós operatório, sendo necessário, as vezes, nova cauterização em centro cirúrgico. Infecções de garganta podem ocorrer no pós operatório sendo resolvidas com uso de antibiótico. Não é necessário usar antibiótico no pós operatório em todos os casos, a necessidade deve ser avaliada pelo médico cirurgião.




FARINGOPLASTIA LATERAL


O que é?

É a cirurgia para ampliar o espaço de respiração na garganta, o que ajuda a melhorar os roncos e a apnéia obstrutiva do sono. É uma variante da uvupalatofaringoplastia.

Para quem é indicado?

Está indicado para pacientes que tem roncos noturnos e/ou apnéia obstrutiva do sono e que apresentam excesso de tecido na região da garganta, como hipertrofia de amigdalas, palato mole alongado e redundante. Não é indicado em todos os casos de ronco, apenas nos pacientes que também possuem excesso de tecido na região da garganta.

Como é a cirurgia?

A cirurgia é realizada com anestesia geral (paciente dorme durante o procedimento), com duração média de 1 hora. A alta costuma ser no dia seguinte da cirurgia.

O paciente deve estar em jejum de 8 horas antes da cirurgia. A cirurgia é realizada pela boca. As vezes são necessários pontos para conter sangramentos, porém os mesmos caem sozinhos, não sendo necessário retira-los.

Pós operatório

A cirurgia geralmente causa muita dor nos primeiros 10 dias após a cirurgia e as vezes mesmo tomando analgésicos fortes o paciente ainda sente dor. O paciente deve comer apenas líquido/pastoso e gelado nos primeiros 3 dias, sendo retomado a alimentação de consistência normal gradativamente.

Complicações

Pode ocorrer raramente sangramento de maior volume no pós operatório, sendo necessário, as vezes, nova cauterização em centro cirúrgico. Infecções de garganta podem ocorrer no pós operatório sendo resolvidas com uso de antibiótico. Não é necessário usar antibiótico no pós operatório em todos os casos, a necessidade deve ser avaliada pelo médico cirurgião.





  • Facebook ícone social

Rua Independência, 2564 - Biocentro, Sala 24 - Toledo/PR

Cel: 045-99996-0804

Tel: 045-3252-9090